No vídeo publicado pela funcionária pública, Marina, que trabalha como Gari na empresa prestadora de limpeza urbana da cidade, é possível ver a dor, a tristeza, a humilhação além da covardia, praticada por um ex-candidato a vereador, que teria lhe agredido verbalmente. Por pouco, a gravataense não foi agredida fisicamente pelo covarde que ainda lhe intimidou com filmagens.

O agressor, segundo o B.O, foi identificado como “NADO ELETRICISTA”, que foi candidato a vereador pelo PT e obteve 196 votos, e hoje, segundo Marina no vídeo, é funcionário da prefeitura de Gravatá.

Segundo o relato, ao avistar a funcionária pública, em tons de ironia, desferi-o diversas palavras de baixo calão, e ainda questionou-a dizendo que ela “estava cuspindo no prato que come”, ou seja, estaria falando da administração ou do emprego, e que ela “passava soltando piada na rua”.

Eu sou uma gari, não sou uma cachorra não, para ser distratada no meio da rua e ser humilhada não. Isso é desumano”.

Disse Marina em um trecho do vídeo.

Quem conhece Marina Gari, sabe que ela é uma pessoa honesta, trabalhadeira e que é muito grata pelo serviço que tem. Infelizmente, no vídeo é possível identificar uma clara perseguição política, humilhando funcionários só porque ela declara que votou no vereador, Léo do AR.

Ao saber do caso, o Vereador, Presidente da Câmara, Léo do AR, ficou indignado e deu total apoio a Marina. Desesperada e chorando muito, ela procurou a Delegacia da 62ª CIRC, acompanhada de um advogado, e prestou boletim de ocorrência – B.O.

A reportagem do De Olho Em Gravatá está indignada com esse lastimável fato, e solicita esclarecimentos da gestão municipal que infelizmente não se manifestou sobre o caso.



PubGS - Você viu, seu cliente verá!

Os comentários estão desativados.