Rede Social: Conheça os Males com a Psicóloga Jacqueline da BioNordeste

23491

As redes sociais estão presentes de forma cada vez mais intensa no dia a dia da população, isso não se pode negar. Estatísticas apontam que a maioria dos brasileiros passa em média 9 horas e 14 minutos por dia conectados, de acordo com as empresas de marketing digital HootSuite e We Are Social.

Por um lado, as redes sociais conseguem aproximar pessoas geograficamente distantes, criar interações entre usuários com interesses em comum e até mesmo possibilitar reencontros. Por outro lado, estudos apontam já há alguns anos o lado nocivo da utilização desses aplicativos. Como ocorreu em 2013, um estudo realizado pela universidade de Humboldt, em Berlim, Alemanha, considerou o Instagram como a rede social que poderia causar maiores danos aos usuários.

Nas redes sociais a realidade pode ser facilmente distorcida e mascarada, ao ser enfatizado apenas o aspecto positivo, a felicidade, a beleza e a riqueza, o que cria uma impressão de que a vida do outro é perfeita, isenta de tristeza ou dificuldades de qualquer tipo, o que aumenta a frustração diante da própria realidade, diante da comparação com a vida alheia, visto que comparações podem ter influência direta com prejuízos e distorções na autopercepção e autoestima.

O distanciamento e empobrecimento das relações na vida real também é outro fator preocupante, pois no mundo virtual a pessoa pode facilmente camuflar suas emoções e descartar as relações indesejadas apenas com um clique, seja para bloquear ou deixar de seguir. No entanto, na vida real, por não existir esse pragmatismo, pode ocorrer a fuga para o mundo virtual, principalmente para algumas pessoas que têm dificuldade no convívio social. No dia 17 de julho a rede social Instagram colocou em prática um teste que não mostra o número de curtidas recebidas nas publicações, apenas o dono do perfil é quem pode visualizar esse número.

Os likes ou curtidas em cada publicação estão relacionados ao senso de reconhecimento social, aceitação e prestígio, uma vez que funcionam como compensação emocional. A administração da rede alega que a medida foi tomada para evitar uma disputa acirrada e crescente em busca de likes, e com isso priorizar a atenção no conteúdo das postagens e não apenas na quantidade de curtidas recebidas. Ou seja, essa rede social parece tentar sugerir que a atenção dos usuários se volte para a qualidade e não para a quantidade, o que poderia amenizar prejuízos causados na saúde mental e consequentemente no comportamento dos usuários.

No entanto, essa alteração tem dividido opiniões, muitos usuários comemoraram e aprovaram a mudança, alegando que estavam se sentido mais livres e sem cobranças , outros reprovaram , por considerar que o número de curtidas servia como um instrumento de avaliação do conteúdo, e há ainda os que questionam a real motivação da rede e se de fato a mudança contribuirá com alguma melhoria na saúde mental dos usuários.

Equilíbrio e discernimento são palavras de ordem para a utilização das redes sociais sem prejudicar a sua saúde mental. Com essas três dicas básicas é possível ter uma experiência positiva e sem prejuízos: Determine um espaço de tempo para utilizar as redes; Deixe o Smartphone de lado enquanto estiver junto com sua família e amigos, ofereça a presença e atenção para quem está ali pertinho de você e também desfrute da presença do outro, sem dividi-los com o mundo virtual; Dê tchau à internet pelo menos 30 minutos antes de dormir .

Rede Social: Conheça os Males com a Psicóloga Jacqueline da BioNordeste
4.7 (94.75%) 2322 votos

Deixe Sua Opinião!

- - Aproveite e Anuncie no De Olho Em Gravatá - -

Anuncie