Foto: Gilvan Silva

Adilson Apolônio, popularmente conhecido como Kiko Por Ká, utilizou a plenária da Câmara de Vereadores, nesta quinta-feira (23/09), para denunciar descasos que vem ocorrendo com o meio ambiente em Gravatá, Agreste de Pernambuco.

Na planária, ele cobrou dos vereadores atitudes, quanto a forma absurda que vem sendo podada as árvores da cidade. Ele foi plausível em suas palavras quando falou das três plantas que deram origem ao nome da cidade, que estavam na praça Arão Lins, conhecida como Praça do Sapo, e infelizmente foram arrancadas pela gestão municipal.

Ainda segundo Kiko Por Ká, as plantas passaram 4 dias ao relento, na praça, e foram descartadas no aterro sanitário da cidade, caracterizando um possível crime ambiental. Ainda segundo Kiko, se for legal, para ele é imoral.

Ele ainda citou os pinheiros que foram arrancados da Praça Rodolfo de Morais em frente à prefeitura de Gravatá, além de uma árvore que foi cortada no pé, localizada na Rua Coronel Estevão da Câmara, rua que da acesso a ponte do norte.

Ainda segundo Kiko, ele teria procurado do secretário de meio ambiente para tratar de assuntos relacionados ás árvores que estão sem irrigação, e o então secretário teria lhe dito que não estava nem ai.

Por fim, Kiko ainda orientou os vereadores a convocar o secretário da pasta para que ele explique sobre o que vem ocorrendo no meio ambiente, porque as árvores vem sendo podadas no tronco.

Ouça o áudio na integra:



PubGS - Você viu, seu cliente verá!

Os comentários estão desativados.