Palestra em Garanhuns (PE) explica como manejo nutricional inadequado pode causar doenças graves em equinos

145
(Post atualizado em: 28 de julho de 2015)


Nesta terça-feira 28 de julho, às 19h, a veterinária e supervisora técnica de equinos da Guabi, Luzilene Souza, ministrará uma palestra sobre as doenças equinas ocasionadas por um manejo alimentar inadequado em Garanhuns (PE). 


A palestra será gratuita e para participar basta comparecer ao Hotel Rodrigues na Avenida Rui Barbosa, 688 – Heliópolis.

O manejo nutricional dos equinos é um dos fatores essenciais para manter a saúde do animal. Quando realizado de forma regular com quantidades corretas de suplemento mineral e volumoso e com orientação de um profissional, pode evitar problemas oriundos da sobrecarga ou ausência de determinados nutrientes.

“Para que o criador tenha um animal com vida útil prolongada e alcance seu máximo desempenho, é preciso que ele conheça todos os riscos que possam impedir esta performance. Os maiores riscos se referem ao manejo inadequado e/ou uma dieta desbalanceada. Não adianta o criador ter um manejo adequado se a dieta é desregulada. Certamente, o resultado será prejudicado”, ressalta dra. Luzilene Souza. 

Entre as doenças causadas pela alimentação indevida estão:

• Cara Inchada: Doença causada pelo aumento da liberação do hormônio PTH (hormônio da paratireoide), que faz com que o organismo do animal retire cálcio dos ossos para suprir a deficiência na corrente sanguínea, causando uma carência e tornando-os areados. Os ossos da face são os primeiros a sofrer com a falta de cálcios, o que dá origem ao nome “cara inchada”. A ingestão de forragens ricas em ácido oxálico, ausência de cálcio, excesso de fósforo e deficiência de vitamina D são outros fatores para desencadear a doença.

• Cólica: O inimigo número um dos cavalos e pode até levar à morte. A cólica pode ser ocasionada por diversos fatores como: clima, alimento mofado ou de baixa qualidade e manejo alimentar inadequado. É necessário atenção na qualidade e na forma de distribuição dos alimentos. O ideal é ter sempre o volumoso, seja o capim verde ou o feno, de boa qualidade e servido diariamente à vontade.

• Doenças ortopédicas do desenvolvimento (DOD): São enfermidades que atacam ligamentos, tendões, entre outros membros dos equinos. Dietas ricas em energia aceleram a taxa de crescimento do animal, o que faz com que o processo de diferenciação celular da cartilagem seja insuficiente. Além disso, a aceleração do crescimento faz com que o tecido mole não acompanhe os ossos. O criador deve ficar atento ao fornecimento balanceado de minerais, sempre oferecendo a quantidade ideal de cálcio, fósforo, zinco e cobre.

• Diarreias: Podem ser causadas por mudanças repentinas e constantes na alimentação. Muitos cavalos têm estômagos sensíveis e as alterações rápidas em sua dieta podem provocar algumas reações. Fornecimento de feno mofado ou grãos rançosos são uns dos causadores de distúrbios no estômago, diarreia e até cólica.

• Laminite: Também conhecida como aguamento, é uma doença caracterizada pela inflamação aguda ou crônica das lâminas do casco do equino. É ocasionada pelo aumento da produção de ácido láctico no trato digestivo, causados pela ingestão excessiva de grãos.

Além da alimentação, outro fator que torna os cavalos mais suscetíveis às doenças são as situações que geram estresse como horas de treinamentos, viagens longas e competições. Nestes casos, ocorre a ativação do sistema nervoso central, resultando em um aumento da concentração do hormônio cortisol na corrente sanguínea do animal. 
Palestra em Garanhuns (PE) explica como manejo nutricional inadequado pode causar doenças graves em equinos
Ainda não votou
Like
Curtir Amei Haha Uau Triste Irritado

Compartilhar no WhatsApp: