Exclusividade: Confira a Programação completa do Festival de Jazz de Gravatá

956

Começa neste sábado (2) a quarta edição do Gravatá Jazz Festival (GJF),  evento que promove quatro dias de shows gratuitos com atrações locais, nacionais e internacionais, em Gravatá. O GJF já é considerado um dos principais festivais do gênero no país e é principal opção de diversão fora do circuito carnavalesco.  Com realização da Prefeitura de Gravatá, produção da Promundo e curadoria do músico Giovanni Papaleo, estão confirmados nesta edição nomes de peso como Flora Purim, Airto Moreira, Victor Biglione, Blues Beatles, Terrie Odabi e muito mais. Este ano é esperado um público de 10 mil pessoas em cada noite do festival, que segue com programação até 5 de março.

O formato do GJF 2019 segue os mesmos moldes que o transformou em um sucesso já nas primeiras edições: atrações locais dividem o palco com músicos de destaque nacional e internacional, em shows separados, mas que, ao longo da noite, dão ao público a sensação de estar na platéia de uma grande  “jam session”, como se diz no meio musical. “Queremos que o festival tenha esse espírito de curtição. O intercâmbio entre os músicos proporciona isso, contagiando a plateia. Foi essa a mistura que tornou o GJF um dos festivais mais prestigiados do País”, explica Giovanni Papaleo.

No line-up, para a felicidade do público, grandes nomes do jazz & blues. Entre eles, a cantora Flora Purim, que despontou no ambiente samba-jazz ainda em 1964, com seu primeiro LP, “Flora é MPM”. O show no Gravatá Jazz marca o retorno de Flora aos palcos. No evento, ela se apresenta ao lado de seu parceiro de música e de vida, o percussionista Airto Moreira, que mudou a história da percussão e por isso mesmo foi eleito por 40 vezes como o maior percussionista do mundo pela Down Beat Magazine, considerada a bíblia do jazz. Airto tem em Luis Gonzaga e na cultura pernambucana umas das suas maiores fontes de inspiração. Dessa forma, junto ao Quarteto Novo, Airto ajudou a divulgar a música instrumental com sotaque nordestino no Brasil. 

Outro destaque da programação é o show da cantora norte-americana Terrie Odabi, que vem pela primeira vez ao Brasil. A diva do blues e do soul de São Francisco é considerada pela crítica especializada dos Estados Unidos como a sucessora de Etta James, tendo sido, inclusive, indicada ao “Oscar” do blues em duas categorias musicais em 2017. Ela se apresenta ao lado da banda Alabama Johnny.

Outra cantora internacional que está presente na grade do GJF é a inglesa com ascendência nigeriana Folakemi, radicada no Rio de Janeiro, é dona de um timbre de voz ímpar, que remete, facilmente, às divas imortais do jazz, como Nina Simone e contemporâneas como Amy Winehouse. Em suas apresentações, num repertório bastante versátil, muito jazz, nu-soul, blues e reggae.

O guitarrista argentino Victor Biglione participa do festival fazendo um tributo a Jimi Hendrix, que ocupa o primeiro lugar nas listas de melhores guitarristas da história mundial. Já Andreas Kisser, líder de uma das maiores bandas de heavy metal do mundo (Sulpultura), apresenta, com Vasco Faé, uma show de exclusivo de blues. Um show inédito na história do GJF, já que é a primeira vez de Andreas em Gravatá e em um show de blues. Já Faé é conhecido como o “homem-banda”. Na apresentação, ele pretende mostrar ao público como conseguiu essa alcunha ao tocar gaita, bateria e guitarra enquanto canta.

A banda Blues Beatles também marca presença na quarta edição do GJF. O grupo, considerado um dos mais inovadores do mercado mundial, tem um som tranquilo, mas ao mesmo tempo contagiante. No repertório, uma mistura das melodias dos Beatles com arranjos tradicionais de blues, estilo que vem ganhando o Brasil, Estados Unidos e Europa.

Este ano, a banda anfitriã do festival, a Uptown Blues Band, capitaneada por Giovanni Papaleo, está comemorando 21 anos de existência com o recém-lançado álbum “Uptown Band & Friends – 21 anos de Blues”, que chega ao mercado cheio de participações especiais. Inclusive, é da Uptown a música tema do GFJ 2019, a Arrastapé II, que pode ser conferida no novo disco. Participam dela músicos como Leo Gandelman, Derico, George Israel, Marcelo Martins e Mark Rapp. “Ainda temos como expectativa aproveitar o período do Gravatá Jazz para compor uma música em homenagem a cidade, que se chamará Blues de Gravatá”, diz Papaleo.

Ainda marcam presença na programação a banda de Rockabilly/Rock’n’Roll Dasta & The Smokin’, vindos diretamente de Natal, no Rio Grande do Norte, a pedido do prefeito de Gravatá, que é um grande fã do estilo. O grupo tem em suas influências musicais astros que vão desde Elvis Presley até grupos de Wild Rockabilly atuais, como Chuy Bobcat.

A banda de Rockabilly Allycats, 100% pernambucana, também figura entre os artistas do Gravatá Jazz. O grupo se inspira nas bandas dos anos 50, porém chega aos palcos com uma proposta inovadora e divertida, com visual baseado em botas, topetes e barbas enormes. Sob influência dos gênios dos primórdios do Rock and Roll, Daniboy e Caju, líderes da Allycats, entregam nos palcos uma mistura do novo e do velho, dando um ar old scholl a músicas contemporâneas.

Ainda nesse charme das décadas passadas, a Vintage Pepper chega aos palcos do GJF com uma atmosfera retrô misturada com elementos mais modernos. Por isso o Vintage do nome. Já o Pepper é utilizado com duplo sentido, para remeter ao lado apimentado da música mais sensual, com ritmos vibrantes. Entre as inspirações da banda, lendas como B.B King, Eric Clapton, Ray Charles, Elvis Presley e Etta James.

Como se não bastassem a lista de atrações musicais, os frequentadores do GJF ainda contarão com outros espaços de entretenimento, como o Jazz Kids, que oferece recreação e oficinas de música. Tudo isso em um espaço confortável, sob uma tenda gigante com mesas e cadeiras e um ar-condicionado natural que é o próprio clima de Gravatá nesta época do ano.

No improviso – Para manter a tradição, a quarta edição do Gravatá Jazz Festival, que contará com jam sessions de jazz e blues logo após os shows do palco oficial. As casas oficiais desses encontros musicais improvisados, diariamente, serão o restaurante Barito Fondue, à noite, e o La Fondue Unique, logo após o almoço. Por lá devem passar os principais nomes nacionais e internacionais dos shows oficiais do GJF. A ideia surgiu como uma forma de presentear o público com explosões musicais improvisadas, mas não menos emocionante e dar aos músicos presentes a oportunidade de trocar experiências. É nas Jam sessions que artistas estreantes e veteranos, locais ou nacionais, ou ainda internacionais, sobem ao palco e se entregam, juntos a música.

Movimento – A expectativa é que o Gravatá Jazz provoque uma ocupação de 100% na rede hoteleira do município durante a realização do festival. Um aumento do movimento também é esperado nos bares e restaurantes da cidade.

Confira a programação: 

Sábado 02/03

19h30 Trimúrti
20h30 Dasta & The Smokin’ Snakes
21h30 Folakemi

Domingo 03/03

20h Vintage Pepper
21h Victor Biglione – Tributo Jimi Hendrix
22h Andreas Kisser & Vasco Faé

Segunda 04/03

20h Mr. Trio
21h Uptown Blues Band convida Nuno Mindelis
22h Airto Moreira & Mor Flora Purim

Terça 05/03

19h30 Arthur Philipe – Tributo Nat King Cole
20h30 Allycats
21h30 Blues Beatles
22h20 Terrie Odabe

Exclusividade: Confira a Programação completa do Festival de Jazz de Gravatá
4.8 (95.97%) 283 votos
Deixe seu Comentário!

- - anuncie aqui - -

Anuncie