ANS disponibiliza informações específicas sobre combate ao Aedes

160

A Agência Nacional de Saúde Suplementar publicou no dia (25/02), em seu portal na internet, uma página específica para divulgar informações sobre prevenção e combate ao Aedes aegypti e as doenças transmitidas e/ou relacionadas ao mosquito – dengue, febre chikungunya e microcefalia (associada ao vírus zika). O material segue as orientações e diretrizes do Ministério da Saúde e contém dados relacionados ao setor de saúde suplementar – incluindo ações que estão sendo executadas pelas operadoras de planos de saúde para enfrentamento da emergência em saúde causada pelo surto de microcefalia.

A ferramenta ajuda a disseminar, de forma concisa e em linguagem acessível, informações confiáveis e relevantes para os profissionais de saúde e a população em geral. A baixo verás em quatro seções como combate ao Aedes aegypti.

Saiba mais sobre o Plano Nacional de Enfrentamento

Confira a seguir informações importantes sobre o Aedes aegypti, orientações específicas para as gestantes e ações que estão sendo realizadas no âmbito da saúde suplementar.

A mensagem da Campanha Nacional de Combate à Dengue é forte porque a situação é grave e requer ação imediata. O mosquito da dengue agora também transmite chikungunya e vírus zika. Mobilize sua família e elimine a água parada, ajudando, assim, a combater os focos que podem virar criadouro do Aedes aegypti.

Cuidados Gerais

Utilize telas em janelas e portas, use roupas compridas – calças e blusas – e, se vestir roupas que deixem áreas do corpo expostas, aplique repelente nessas áreas.

Fique, preferencialmente, em locais com telas de proteção, mosquiteiros ou outras barreiras disponíveis. 


Cuidados 

Caso observe o aparecimento de manchas vermelhas na pele, olhos avermelhados ou febre, busque um serviço de saúde para atendimento. 

Não tome qualquer medicamento por conta própria. 

Procure orientação sobre planejamento reprodutivo e os métodos contraceptivos nas Unidades Básicas de Saúde. 

Informação 

Utilize informações dos sites institucionais, como o do Ministério da Saúde e das secretarias estaduais e municiais de saúde.
Se deseja engravidar: busque orientação com um profissional de saúde e tire todas as dúvidas para avaliar sua decisão.
Se não deseja engravidar: busque orientação médica sobre métodos contraceptivos.

O Aedes aegypti é um mosquito doméstico. Ele vive dentro de casa e perto do homem. Com hábitos diurnos, o mosquito se alimenta de sangue humano, sobretudo ao amanhecer e ao entardecer. A reprodução acontece em água limpa e parada, a partir da postura de ovos pelas fêmeas. Os ovos são colocados e distribuídos por diversos criadouros.

Em menos de 15 minutos é possível fazer uma varredura em casa e acabar com os recipientes com água parada – ambiente propício para procriação do Aedes aegypti. Veja as principais orientações:

Cuidados dentro das casas e apartamentos
Tampe os tonéis e caixas d’água;
Mantenha as calhas sempre limpas;
Deixe garrafas sempre viradas com a boca para baixo;
Mantenha lixeiras bem tampadas;
Deixe ralos limpos e com aplicação de tela;
Limpe semanalmente ou preencha pratos de vasos de plantas com areia;
Limpe com escova ou bucha os potes de água para animais;
Retire água acumulada na área de serviço, atrás da máquina de lavar roupa.

Área externa de casas e condomínios

Cubra e realize manutenção periódica de áreas de piscinas e de hidromassagem;
Limpe ralos e canaletas externas;
Atenção com bromélia, babosa e outras plantas que podem acumular água;
Deixe lonas usadas para cobrir objetos bem esticadas, para evitar formação de poças d’água;
Verifique instalações de salão de festas, banheiros e copa.

Orientações às gestantes

Cuidados com a saúde devem ser diários. No período da gravidez, essa atenção com a saúde deve ser redobrada. A gestante deve ser acompanhada em consultas de pré-natal; realizar todos os exames recomendados pelo médico; não consumir bebidas alcoólicas ou qualquer tipo de droga; e não usar medicamentos sem orientação médica.

Ultimamente, a preocupação com o mosquito Aedes aegypti, que transmite a dengue, a febre chikungunya e também zika, aumentou. O Ministério da Saúde está investigando o nascimento de bebês com microcefalia relacionada ao vírus zika. As investigações sobre o tema continuam para esclarecer questões como a transmissão desse agente, a sua atuação no organismo humano, a infecção do feto e período de maior vulnerabilidade para a gestante. Os casos de microcefalia reforçam ainda mais a importância dos cuidados para eliminação do mosquito da dengue.

As beneficiárias de planos de saúde com cobertura obstétrica têm garantido o pré-natal, o parto e assistência pós-parto. Especificamente quanto a diagnóstico e tratamento de dengue, zika e chikungunya, há uma lista de exames e procedimentos disponíveis no rol: exames laboratoriais para detecção da dengue e chikungunya, exames de imagem para a fase de gestação e após o nascimento do bebê (caso haja suspeita de má formação) e exames e terapêuticas preconizados para o tratamento do bebê com microcefalia. O Cartão da Gestante contendo todas as informações do pré-natal deve ser disponibilizado pelas operadoras de planos de saúde às grávidas.

Cuidados para a grávida

Prevenção/Proteção 


Utilize telas em janelas e portas, use roupas compridas – calças e blusas – e, se vestir roupas que deixem áreas do corpo expostas, aplique repelente nessas áreas.
Fique, preferencialmente, em locais com telas de proteção, mosquiteiros ou outras barreiras disponíveis. 

Cuidados 

Inicie o pré-natal assim que descobrir a gravidez. 

Realize consultas regularmente: uma vez por mês até a 28ª semana de gravidez; a cada quinze dias entre a 28ª e a 36ª semana; e semanalmente do início da 36ª semana até o nascimento do bebê. 

Tome todas as vacinas indicadas para gestantes. 

Em caso de febre ou dor, procure um serviço d
e saúde. Não tome qualquer medicamento por conta própria. 

Informação 

Se tiver dúvida, fale com o seu médico ou com um profissional de saúde. 

Relate ao seu médico qualquer sintoma ou medicamento usado durante a gestação. 

Leve sempre consigo a Caderneta da Gestante, pois nela consta todo seu histórico de gestação.

Cuidados com o recém-nascido

Proteger o ambiente com telas em janelas e portas, e procurar manter o bebê com uso contínuo de roupas compridas – calças e blusas. 


Manter o bebê em locais com telas de proteção, mosquiteiros ou outras barreiras disponíveis. 

A amamentação é indicada até o 2º ano de vida ou mais, sendo exclusiva nos primeiros 6 meses de vida. 

Caso se observem manchas vermelhas na pele, olhos avermelhados ou febre, procurar um serviço de saúde. 

Não dar ao bebê qualquer medicamento por conta própria.

Informação 

Após o nascimento, o bebê será avaliado pelo profissional de saúde na maternidade. A medição da cabeça do bebê (perímetro cefálico) faz parte dessa avaliação. 

Além dos testes de Triagem Neonatal de Rotina (teste de orelhinha, teste do pezinho e teste do olhinho), poderão ser realizados outros exames. 

Faça o acompanhamento do crescimento e desenvolvimento conforme o calendário de consulta de puericultura. 

Mantenha a vacinação em dia, de acordo com o calendário vacinal da Caderneta da Criança.

Cuidado com o recém-nascido com microcefalia 

Proteger o ambiente com telas em janelas e portas, e procurar manter o bebê com uso contínuo de roupas compridas – calças e blusas. 

Manter o bebê em locais com telas de proteção, mosquiteiros ou outras barreiras disponíveis. 

A amamentação é indicada até o 2º ano de vida ou mais, sendo exclusiva nos primeiros 6 meses de vida. 

Caso se observem manchas vermelhas na pele, olhos avermelhados ou febre, procurar um serviço de saúde. 

Não dar ao bebê qualquer medicamento por conta própria. 

Leve seu bebê a uma Unidade Básica de Saúde para o acompanhamento do crescimento e desenvolvimento conforme o calendário de consulta de puericultura. 

Mantenha a vacinação em dia, de acordo com o calendário vacinal da Caderneta da Criança. 

Informação 

Além do acompanhamento de rotina na Unidade Básica de Saúde, seu bebê precisa ser encaminhado para a estimulação precoce.
Caso o bebê apresente alterações ou complicações (neurológicas, motoras ou respiratórias, entre outras), o acompanhamento por diferentes especialistas poderá ser necessário, a depender de cada caso. 

Quais as consequências para um bebê se ele for picado e tiver zika?

Entre pessoas infectadas pelo vírus zika (adultos e crianças), cerca de 80% não desenvolvem sintomas, sejam adultos ou crianças. Dentre essas pessoas, apenas uma pequena parcela pode vir a desenvolver algum tipo de complicação, que deverá ser avaliada pelos médicos, uma vez que o zika é uma doença nova e suas complicações ainda não foram descritas.

Aleitamento materno

Como não há evidência científica que demonstre a transmissão do vírus zika pelo leite materno, o Ministério da Saúde recomenda que seja mantido o aleitamento materno contínuo até os dois anos ou mais, sendo exclusivo nos primeiros seis meses de vida. O aleitamento materno é a estratégia isolada que mais previne mortes infantis, além de promover a saúde física, mental e psíquica da criança e da mulher que amamenta.




Direto da Redação: Leandro Oliveira
NRG: Núcleo de Reportagem Gravataense
ANS disponibiliza informações específicas sobre combate ao Aedes
Ainda não votou
Like
Curtir Amei Haha Uau Triste Irritado

Compartilhar no WhatsApp:


Boa Live Gravata