Aniversário de Gravatá – 125 Anos: Conheça a História de Gravatá e como ela surgiu!

934
(Post atualizado em: 15 de março de 2018)
Alto do Cruzeiro em Gravatá. Créditos das Images\Antônio Lucas

O município de Gravatá, no Agreste, teve sua origem em uma fazenda no ano de 1808. O local, que pertencia a José Justino Carreiro de Miranda, servia como hospedagem para viajantes que comercializavam açúcar e carne bovina, sendo levados de embarcação do Recife até o interior. Como a navegação pelo Rio Ipojuca era difícil, os comerciantes eram obrigados a fazer paradas estratégicas para evitar que o gado perdesse peso. Uma dessas paradas ficou conhecida como Crauatá, denominação que deriva do Tupi Karawatã (mato que fura), por conta da predominância de uma planta da família das bromélias, também conhecida como Caraguatá, Caroatá, Caroá e Gravatá.

No fim do século 18, Justino Carreiro de Miranda tomou posse da Fazenda Gravatá que, por muito tempo, serviu de hospedagem para esses viajantes. Em 1810 iniciou-se, portanto, a construção de uma capela dedicada a Sant’Ana que, 12 anos mais tarde, seria concluída por seu filho João Felix Justiniano. Em seguida, as terras foram divididas em 100 lotes e vendidas aos moradores dando início, posteriormente, ao povoado de Gravatá.

Alto do Cruzeiro em Gravatá. Créditos das Images\Antônio Lucas

No ano de 1875 foi criada a freguesia, onde seria elevada à categoria de vila em 30 de maio de 1881 através da Lei provincial n° 1.560, assim, sua capela foi transformada em Igreja Matriz. Em 13 de junho de 1884, a sede do município foi elevada à categoria de cidade (Lei Provincial n° 1.805), porém, sua emancipação política só ocorreu após a Proclamação da República, pela Lei Orgânica dos Municípios, de 15 de março de 1893, quando a cidade adquiriu sua autonomia municipal e elegeu o seu primeiro prefeito, Antônio Avelino do Rego Barros.

No final do século 19, com a inauguração da ferrovia Great Westerns Railways, ligando o Recife ao Sertão do Estado, Gravatá tomou considerável impulso e, aos poucos, foi definindo sua vocação para o turismo.

Hoje, a cidade possui uma das maiores redes hoteleiras do Nordeste sendo, portanto, destino certo de quem procura descanso e tranquilidade.

Cristo Redentor no Cruzeiro em Gravatá. Créditos das Images\Antônio Lucas

Uma das mais importantes cidades da rota Luiz Gonzaga – Localizada no Planalto da Borborema, a mais de 700 metros de altitude, Gravatá conta com a melhor infraestrutura hoteleira do interior de Pernambuco. São mais de 3,5 mil leitos em confortáveis Spas, Pousadas e Hotéis. Com atrativos diversificados, os lugares oferecem piscinas térmicas, área de lazer, arborismo, lagos, programação infantil, entre outros. Além disso, são mais 200 condomínios com charmosas casas com arquitetura com traços europeus.

A oferta turística da cidade inclui roteiros ecológicos, entre elas, a Reserva Serra do Contente, que oferece trilhas por Mata Atlântica com mirantes, bicas de água mineral, singulares e altíssimas formações rochosas, grutas e espécies da fauna e da flora da região. A ida a cachoeira da Palmeira, localizada na região de Brejo de Altitude, é outro passeio que garante muita diversão, banhos e uma vista geral das fazendas de orgânicos e flores.

CAVALOS – Maior polo regional de criação de cavalos das raças como Mangalarga Marchador, Campolina e Paint Horse. Gravatá conta com centenas de haras que oferecem passeios à cavalo pelos vales da região.

POLO MOVELEIRO – O Polo Moveleiro é uma boa alternativa de turismo de compras e oferece uma ampla variedade do artesanato local, além dos criativos e bem acabados móveis rústicos produzidos nas movelarias locais. As singelas Bonequinhas da Sorte, feitas com tecido e medindo apenas dois centímetros, também podem ser encontradas no local. Destaque para o artesanato e produtos ecológicos, com flores feitas de palhas e frutos, camisas e colchas, redes do mais puro algodão e os produtos utilitários de cerâmica.

Cidade pacata e de arquitetura com influência europeia, Gravatá conta ainda com outros lugares de charme, como cafés, antiquários e mirantes como o Alto do Cruzeiro, de onde o visitante pode apreciar o pôr do sol, com a vista panorâmica da cidade e das montanhas que a cercam.

O Centro de Informações Turísticas, localizado na via local da cidade, próximo ao viaduto de entrada, oferece orientação aos turistas sobre hotéis, restaurantes, roteiros e guias turísticos.

Aniversário de Gravatá – 125 Anos: Conheça a História de Gravatá e como ela surgiu!
5 (100%) 6 votos
Like
Curtir Amei Haha Uau Triste Irritado
1216

Compartilhar no WhatsApp:


Boa Live Gravata